quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O Homem do leme...

Há coisas que me custam a entender. Uma delas, é a falta de respeito pelos outros. Sinceramente, intriga-me aquela despreocupação total de algumas pessoas, que fazem com que, ou alguém segura o barco, ou o barco se afunda.
Em tempos, já me perguntei, se a culpa seria de quem de desleixa, se de quem assume o comando ( culpa é uma palavra chata. Nem sei se se aplica verdadeiramente aqui).
Se quem assume sempre o comando se desleixar também, pode ser que o facto, por si só, constitua um motor de arranque, para o habitual desleixado assumir as rédeas. É uma perspectiva, é certo. O pior, é que cai por terra em situação de naufrágio, onde as consequências se reflectem em terceiros, eventualmente dependentes. E não no que habitualmente comanda, nem no que se deixa ir...
A vida é uma luta do caraças, nada fácil, e ainda menos, linear e de verdades absolutas. Confesso, que me irritam terminantemente, pessoas com a mania que têm receitas milagrosas para a vida dos outros, como se fosse fácil; e atiram comentários do tipo, faz isso, porque o deixam fazer... A resposta está errada. Porque se calhar, se o comandante deixa, é porque já experimentou outras estratégias, que não resultaram, ou que prejudicaram alguém, que não queria de forma alguma prejudicar. E porque apesar de ficar, muitas vezes com sobrecarga, continua a comandar, em consciência de que, independentemente de não ser a solução ideal, é a melhor que encontra, logo, á a ideal para si. Portanto, a resposta certa é que, muitas vezes, o comandante comanda, porque alguém tem de comandar, assumir e seguir em frente. E é ele que é gente o suficiente, e tem estrutura para o fazer. E se não tinha essa estrutura, arranjou força para a ganhar, criou-a, cresceu. E porque há quem tenha falta de carácter e desleixo suficiente para se acomodar, e ter papel passivo. É mais fácil, menos exigente. Mas perde, perde muito com isso. Nem sabe quanto. Mas eu sei. Na falta da perfeição da partilha, o Homem do leme, é sempre o Homem do Leme. Com tudo o que há de mau, e com tudo o que há de bom.

2 comentários:

  1. É muito fácil criticar e dar instruções quando não passam de bitaites! Na hora do 'vamos lá meter mãos à obra', esses, perdem o pio pois confrontam-se com a realidade do que é liderar.

    ResponderEliminar
  2. Por isso é que eu me recuso a embarcar em cruzeiros... ;)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores