sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Vontades

A resistência é uma coisa estranha. Mune-se de um tamanho infinito quando precisa, para depois, e após descanso, quase se sumir dos corpos. Já conheci casos de gente que resiste até a um determinado objectivo, e que desfalece, em forças, vontades ou vidas, mal o consegue realizar. Faz-me pensar na nossa potência interna, e no quanto ela pesa nos nossos dias. O nosso querer, o nosso arbítrio. Não sendo detentora de poder contra determinadas grandezas que possam emergir, é porém forte e importante, nada secundária. Gostaria muito de encontrar uma forma de fazer o mundo acreditar nesta verdade. Mas parece-me difícil, pois cada vez mais me cerco de gente que julga que o mundo gira fora, ao invés de girar dentro. Umas falsas crenças, que deixam pessoas à mercê dos outros e das suas vontades e decisões, ao invés de utilizar toda a capacidade adaptativa de que são dotadas. O caso chega ao extremo quando encontro, tal como hoje, uma pessoa que espera um milagre de uma qualquer mulher que reza para que encontre um emprego, enquanto ela se encontra sentada num banco do jardim. Crer na sociedade já não é bonito. Crer em poderes extraordinários, que pelas mãos de algum habilidoso se tornarão em realidades concretas, pode chegar a ser perigoso. No fundo, e o que mais me intriga, é a capacidade de se deixarem ir, e de se anularem ao ponto de nada fazerem, enquanto outros, sejam pessoas, sejam santos, o fingem fazer.

( Agora a sério, Dona Justa rezou por mim muito tempo. Também eu, alienada, julguei poder crer nas suas preces, mas até hoje continuo ao abandono. Há quem diga que é do mau feitio. Eu estou convencida de que foi a reza que não resultou.)

1 comentário:

  1. :):):)Da forma como isto anda não é muito difícil sucumbir :( se calhar até as vontades têm limite de vida e, quanto às rezas, ajudam, mas sozinhas...
    Sabes aquela anedota do tipo que no meio de uma cheia, e pendurado no telhado, reza desesperadamente para que Deus o salve e à medida que Deus vai atendendo às suas preces enviando-lhe socorros vários, ele vai recusando porque está à espera que seja Deus a salvá-lo. Claro que morre e, escandalizado, chega ao céu e exige saber porque é que Deus não lhe deu ouvidos. Deus respondeu-lhe, perguntando porque é que ele recusara todas as ajudas que Ele lhe tinha enviado.
    Há também a outra que todas as semanas reza à Virgem para que lhe saia a lotaria e a quem, a dada altura, farta também de tanta ladainha, a Santa aparece e pede, de coração nas mãos: Por favor filha, compra uma cautela.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores