segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Dias não...

Os dias não são uns dias um tanto ou quanto estranhos, surgem normalmente do nada, que os que surgem motivados por algo concreto, que nos tira do sério e nos leva a paciência para um local longínquo e inacessível, são outro tipo de dias. Dias em que nos encontramos aborrecidos devido a isto ou aquilo, que vai desde a noite em que não se dormiu, à pessoa que não se viu, ao muito que se trabalhou, ao pouco que se descansou, à dor que nos atormenta o corpo ou o espírito, enfim, o que quer que seja que nos faça a disposição descer a níveis limite, cabe-nos a nós, com a nossa sapiência, resiliência, paciência ou qualquer outro termo que aqui se possa encaixar, resolver, em prol do nosso bem estar. O não, apenas e só porque não, surge a capricho, sem motivo aparente ou no mínimo identificável, sendo que nos deixa num estado de prostração importante, porque nem bem sabemos onde intervir.
Ora então basta pensarmos, e no seguimento dos aborrecimentos atrás mencionados, que no sono poderemos dormir, na pessoa que a nós nos falta, poderemos procurar, no cansaço, descansar, na dor que nos consome, atenuar. Ou poderemos pelo menos tentar, cada uma destas coisas perfeitamente identificadas, que a tentativa, por si só, poderá chegar para nos abrandar o espírito, levitar-nos a alma, aquecer-nos o corpo, que assim somos, é de nossa natureza, pelo que muitas das vezes precisamos apenas e só de caminhar na direcção de algo, independentemente de lá podermos ou não chegar . No não, não se encontra caminho. Desassossega-se. As forças, que já nem são muitas, não apanham direcção precisa e deambulam perdidas, cada vez mais fracas e inertes, por falta de um destino. A ausência de destino é sempre uma ausência severa, seja ela onde for. O medo surge quando o dia, passa a dias.

1 comentário:

  1. É isso mesmo :):):) Parece até que é mal que vem não se sabe de onde! Tipo da Lua ou coisa assim...ou, se calhar, de uma qualquer premonição e é quando se começa a matutar nisso que o medo se instala. Mas depois dorme-se e passa. O fundamental é não deixar que se sucedam, esses dias. Podem até repetir-se, mas alternados... no máximo. :):):)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores