quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Agradecimentos

Após as brincadeiras, tento iniciar arrumações. Enquanto beberica o leite, vai-me dando instruções, de dedo no ar. Gormittis na bolsa azul, Raymans, na branca. Berlindes na bolsa opaca, Indios na caixa de sapatos. Draggons na bolsa transparente. Regra geral, é ele que se ocupa da divisão. É necessário que eu dê uma mão, uma vez por outra, quando o sono já aperta. Tento respeitar esta meticulosa ordenação, que, confesso, não sei de onde lhe vem. Ambiciono que o persiga. Dizem que os bons ou os maus hábitos vêm de pequenino. Só isso me faz, ao fim de um dia de trabalho, não enfiar a bonecada toda no mesmo saco. Sacrifícios de mãe, em prol do futuro. Um dia, e se o moço for casadoiro, quem o levar, dever-me-á agradecimentos eternos.

1 comentário:

  1. Não há caixa que aguente... nem mãe para distinguir um Gormitti de um outro qualquer bicho feio...

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores