sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Do outro lado

Ás vezes, do outro lado da linha percebemos mau estar. De alguém de quem gostamos, e que não queríamos que estivesse assim. E ficamos a pensar no que fazer, no que dizer, a fim de amenizar algum sofrimento que se instalou, em quem não merece. E depressa concluímos, muito para nós, que o mundo é um lugar estranho onde se vive. Onde a injustiça impera, e nós, obrigatóriamente, levamos com ela. Logo após, leio um post num blog que sigo, que fala disso mesmo. Da injustiça. Não sei muito bem, mas a mim, parece-me que se assume, como um lugar comum demais. Digo eu. Que não gosto dela, nem à lei da bala.

2 comentários:

  1. Numa sociedade onde os próprios Orgão de Justiça, não fazem Justiça, pelo menos em muitos casos e falo tambem dos que estão mais sobre os holofotes da sociedade. Os limites da injustiça para o comum cidadão começa também a ser uma mera visão ou miragem. É pena, triste, mas é assim e cada vez mais, infelizmente.
    O que fazer?
    Na maior parte das vezes sinto os pés e as mão atadas...

    :)

    ResponderEliminar
  2. Duas das coisas que menos gosto, injustiças e iscas.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores