quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Cães, e afins


Confesso que me enerva um pedacito, a expressão, proferida perante a presença de um canídeo de raça, ou bafejado pela beleza, e que consta " Tadinho. Tão lindo e abandonado. Se calhar tem fome. Mal empregado." Pois se calhar tem. Só não percebo é o porquê da beleza ser chamada ao caso. E o rafeiroso abandonado, não terá fome? O rafeiroso, esse, que no fundo, é a maior vítima de abandono. Será que, não sendo portador de dotes de estilo, não é merecedor de pena? Não será cão por isso?

Não gosto de ver animais com fome. Não, não gosto mesmo. Mas a mim, tanto me toca um Caniche felpudo, como o rafeiro pelado que me assola a porta, e ao qual atiro pela janela do terceiro andar, fatias de fiambre e restos de carne.

Este exagero patético, da importância da beleza no Mundo é de facto abrangente.

5 comentários:

  1. Há pessoas que não gostam das coisas, gostam do que é de marca, e cão para ser cão, no conceito dessa gente, tem de ser de marca, tipo Pastor Belga Lacoste. Triste gente que nunca saberá o bom que é ter o amor e a companhia de um deles.

    ResponderEliminar
  2. Fizeste-me lembrar uma petição que uma vez assinei contra um suposto artista cujo, numa conceituada galeria de arte no México, expôs um cão acorrentado e em que a suposta arte estava em vê-lo definhar de fome...

    A estupidez humana não cessa de me surpreender.

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Já fiz parte activa da Liga Portuguesa dos direitos dos animais e assisti a situações de maldade que nunca imaginei caberem no ser humano.
    Animais queimados propositadamente, espancados, torturados enfim...um sem fim de mosntruosidades.
    Um animal quando acolhido no lar tem de fazer parte integrante da família e só o devemos receber se tivermos essa consciência.
    :)

    ResponderEliminar
  4. Este é um assunto que me toca especialmente. Para mim são todos lindos! Lindos de morrer, adoro animais e não vejo a minha vida sem eles. Tento ajudar o mais que posso, seja dar comida aos que andam pela rua, ajudar associações, enfim.. Desde pequena, lembra sempre a minha mãe, que eu dizia que queria crescer e ser muito rica para apanhar todos os animais da rua. Também já fiz um post sobre isto, de revolta por todas as pessoas que atentam contra o bem-estar dos bichinhos. Parte-me o coração e chego mesmo a chorar, eu que não verto lágrimas por absolutamente nada. Tenho filhos, são os meus filhos de 4 patas!

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores