domingo, 15 de novembro de 2009

Dias assim


Estes dias de dolce fare niente, têm uma vertente antagónica. Se por um lado nos lavam a alma, e nos permitem repousar, por outro, dão-nos tempo para lembrar, o que queremos esquecer. Ás vezes quase que sinto, que me empurram de mansinho, pelos meus terrenos pantanosos. Vale-me o novo livro de Saramago (sim, tb já se perdeu por cá), e um pequeno traquina que me assola a alma, e não me permite excessos de devaneios. Para além disto, rendo-me a um novo perfume, onde me envolvi a título de experiência, e que me está a aquecer o ânimo. Há coisas a que sou fiel. Não sei se eternamente. Que este conceito de eterno, é traiçoeiro o suficiente, para não me deixar ir assim, ao Deus dará. Por norma não vario, para além do Eternity ( Eterno, pelo menos no nome), da Calvin Klein, no Inverno, e o Pleasures, da Estée Lauder, no Verão. Mas confesso, que estou quase rendida aos encantos do Wanted, da Helena Rubinstein. Quente, como se quer em dias de Inverno. Doce, como se quer, em qualquer Mulher. Se há coisa que me toca é o cheiro. Os meus cinco sentidos merecem sempre toda a minha atenção. Devemos estimar o que nos dá prazer.

4 comentários:

  1. 6! 6 sentidos, as mulheres têm seis sentidos :p LOL

    ahaha! a verificação de palavras dá-me: GRATO! deve ser por ter descoberto o blogue! LOl

    ResponderEliminar
  2. Bom gosto!

    A mim se há perfume que me define é o L'eclat D'Arpege da Lanvin.

    Lancei-te um desafio no meu estaminé. Vem ver!

    :)

    ResponderEliminar
  3. Devemos sim senhora :) «estimar o que nos dá prazer» :):)

    ResponderEliminar
  4. Eu também concordo contigo quanto ao estimar o que nos dá prazer. No entanto, sou um pouquinho mais leviana. Adoro perfumes desde que me conheço e como tal, não me consigo fidelizar a nenhum. Vou variando... E dá-me tanto prazer...

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores