terça-feira, 30 de março de 2010

Compras


As compras têm poderes escondidos. Cientificamente comprovados, e com especial incidência no género feminino, o da futilidade, ora pois. Sempre me deleitei com a quantidade de Homens que encontro, nas entradas das grandes lojas femininas. Com ar de enfado, muitas das vezes abanando um carrinho de bebé, com um pequeno ser aos berros lá dentro. Este fenómeno, tem maior expressão, no tempo dos saldos, ou em época natalícia. Mas dura todo o ano, embora numa escala mais reduzida. Comprovei hoje. Pela minha parte, e como o ser que me acompanha é um pirralho de sete anos, não tenho a sorte de ser largada ao meu devaneio, dentro das referidas lojas. A incursão, é por norma deveras controlada. Entre um estou farto, um olha aqui mãe que giro ( horrível por norma, ou no mínimo espalhafatoso), e um deixei cair isto, consigo por norma, vislumbrar qualquer coisa, assim, meio de esguelha.

4 comentários:

  1. Há, com certeza, qualquer coisa de errado em mim! é que não gosto de andar às compras. Não gosto mesmo. Cansa-me. Só quando preciso mesmo mesmo de qualquer coisa é que lá me aventuro. Depois posso até andar uma tarde inteira, mas isso é porque nunca consigo encontrar aquilo que idealizo em cinco minutos porque, se conseguisse, seria o céu! pirava-me logo :):) lol

    ResponderEliminar
  2. LOLOLOLOL
    Compras e filhos pequenos são algo que nunca se podem juntar...é como a água e o azeite!!
    :)

    ResponderEliminar
  3. Antígona, não há nada de errado em você... O que há, provavelmente, é o mesmo que há em mim, a intolerância para certas coisas, comum na idade da loba.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores