terça-feira, 30 de março de 2010

Sentida

Tenho algumas manias de beleza, confesso. Uma delas, centra-se no meu cabelo, que me molda airosamente o rosto. Não pode estar demasiado curto, nem demasiado escuro; demasiado claro também não gosto, ganho um ar falso, e não gosto de falsidades, nem por dentro, nem por fora. Pelo telefone, estranhei não me pedirem foto, para tratar de um certo documento, mas enfim, lá rumei. Para descobrir quase em pânico, que a foto, era no sítio, tal e qual Cartão de Cidadão. Eu, por norma munida da minha querida maquilhagem, levava a cara mais lavada que um prato, acabadinho de sair da máquina. As minhas sardas, andam por cá, pois andam, mas ainda deveras tímidas, com esta preocupante falta de sol. Comecei a tremer, e a moça do atendimento, deve ter percebido o meu estado de aflição. Deu-me uns segundos, para eu me deslocar à casa de banho, e tentar compor esta terrível desgraça. Compus, ou melhor julguei que tinha composto. Mal me posto de fronte à máquina, começam a mandar-me afastar o meu querido cabelo. Nas orelhas, na testa. Recomeço a tremelico. Ainda por cima, sou portadora de um magno sinal azul, acima do meu olho direito, que escondo ardilosamente, com o cabelo que agora me mandam afastar. Concentrei-me, com esforço hercúleo, e a imagem foi captada. Com jeitinho, e perante o tamanho da desgraça ali impressa, solicitei outra, ao que ela acedeu. A segunda não ficou melhor, mas o meu descaramento, não chegou para solicitar terceira, e lá fiquei eu. CF, de cara pálida, e ainda por cima de cabelo para trás, num documento importantíssimo. Está muito bem, diz-me a Senhora, ao que eu sorrio, quase conformada, e já a pensar, se calhar são os meus olhos exigentes. A foto do pequeno J, também não ficou por demais favorecida. Faço-lhe uma festa e vocifero, Calma meu querido, a mãe está muito pior. Pois estás, nem sei bem o que tu pareces responde-me, com um sorriso de orelha a orelha.
A minha auto estima está sentida, a minha foto está mesmo uma desgraça, e eu como chocolate desalmadamente. Concluo que esta coisa da sinceridade infantil, poderá estar intimamente ligada à engorda.

4 comentários:

  1. Ahahah...fragilizo-te parece-me, mas ri-me que se farta.
    Vê a coisa pelo lado positivo: vais causar exclamação quando te compararem com a foto...
    ;P

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. ahahhahahhahahha
    deixa lá, ao contrário do photoshop, sempre te vão dizer que és muito mais gira em pessoa...
    Quanto à sinceridade infantil...bem, para te situar eu ando um alarve a comer chocolates e como consequência, parece que voltei à puberdade, tenho andado constantemente com a cara em "obras"...a minha filhota de 6 anos, saiu-se há dias com um "mãmã, tenho pena de ti...com a cara assim...mas deixa lá eu amo-te na mesma"...e como dizes, em vez de deitar todos os chocolates fora...reciclei-os para dentro da minha boca....
    :)

    ResponderEliminar
  4. Vá lá, vá lá! Quando tirei o Passaporte nem podia mostrar os dentes...

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores