sexta-feira, 19 de março de 2010

Do dia...

Digo que não ligo muito a datas, mas no fundo acho que isso nem é bem verdade. Existem aquelas, que não consigo passar, sem assinalar de alguma forma. Ele deveria ter uns 23 quando eu nasci. Nem saberia decerto, o que o esperava, o pobre. Habituado a irresponsabilidades, surge-lhe de repente, uma berrona lá por casa, que desde cedo foi reinvindicativa. Diz-se, claro, que eu não confirmo nada disso. Nunca se assumiu, com aquela imagem de pai que eu via lá na aldeia. Uns pais austeros, sérios, com funções definidas e rigorosas. Sempre foi um Pai à moderna. Mudava-me a fralda, brincava, não ralhava, não impunha ordens, e tudo quanto fosse regras, era com a minha mãe. Ensinou-me a andar de bicicleta, a correr atrás dela, e a segurar no banco, não fosse a sua menina cair no chão, e espatifar o seu lindo nariz. Fez-me um baloiço, numa oliveira, mesmo ao pé do canil, onde eu passava horas a fio. Levava-me a pescar, ou melhor, a tentar fazê-lo, que os peixes do lago eram tramados.
Na altura da minha Escola primária, fazia cartões com desenhos e dizeres lamechas, que lhe ofertava com um enorme carinho e alguma vergonha. O meu Pai nunca foi muito dado a manifestações de afecto. Beijos, abraços, e essas coisas assim. Talvez por isso, ficava um pouco acanhada, quando lhe dava prendas. Ele guardava estas ofertas, numa gaveta da cozinha, juntamente com as da minha mãe, que eram por norma muito mais melosas.
Hoje, o meu pai é o tal lutador, do qual já por cá falei algumas vezes. E a data, por instituída que seja, acaba por me levar a dar-lhe o tal do beijo envergonhado, que entretanto já não é. Aos trinta, já não temos vergonha de nada, muito menos com as nossas gentes. No saco, vai uma gravata azul forte. Gosto de ver o meu Pai de gravata. Ficam bem em todos os Homens, e melhor ainda no meu Pai. Se calhar nota-se muito, que tenho um imenso orgulho nele. E um orgulho de filha, que é um orgulho maior.

3 comentários:

  1. eu adorava tanto arroz doce que, há custa de comer todos os diazinhos que viessem ao cimo da terra, apanhei um enjoo que já dura há anos! =S e a pena que eu tenho!

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores