segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Casamento

O meu tio vai casar com a minha tia. A minha tia é já muito velha, coxa, e já foi casada há anos com este meu tio, que é o verdadeiro. Ela apenas o é por afinidade, ou melhor, foi, porque nos entremeios deixou de ser. Após anos de brigas feias, costas voltadas e papéis de divórcio, dá ideia que se encontraram numa esquina e se apaixonaram outra vez. Longe dos dois filhos já adultos que têm em comum, da casa, dos desarrumos da vida. Ele tem uma barba branca que rufia e é viajante. Ela usa óculos e chama-se Fernanda. Tem um coração enorme que agora ainda está maior, porque vai caber lá dentro o meu tio, que é um homem muito grande. E para além disso vai lá caber o que sempre lá coube, ou seja, toda a gente. Vive perto do castelo, numa rua estreita e calcetada, com elevador fechado a ferro. Tem vizinhas velhas e portas de madeira carunchosa, com um vidro quadrado fosco, através do qual não se vê nada senão os próprios desenhos de flores, que eu em tempos gostava de decalcar. Tem um gato grande e preto que não gosta nada de brincadeiras, o que provavelmente será um problema para o meu tio, que entretanto lhe invadirá o espaço, a casa, a dona. Ainda não sei onde será o casamento, mas parece que já estou convidada. Não sei se sabem mas cultivo um sentimento estranho em relação aos casamentos. Mas gosto de os presenciar, ao longe, e de ver as pessoas muito felizes naquele dia, a proferirem ditos que eu mesma já proferi, com todo o amor do mundo que estava cá dentro de mim. Era verdade tudo aquilo, tal como vão ser verdadeiros os votos dos meus tios. Desta feita, o feliz casal reúne na envolta filhos, netos, sobrinhos e compadres. Uma coisa inédita, nunca vivi nenhum igual, estou ansiosa. Até porque para além de tudo, Fernanda vai ser minha tia outra vez.

5 comentários:

  1. goste-se muito ou pouco de casamentos, é uma história bonita, há que reconhecer!...

    ResponderEliminar
  2. Sim, é bonita. Conto-a meio a brincar, mas como respeito e alegria. Esta, ao contrário de muitas que aqui escrevo, é mesmo verdadeira. E esta hein?!???!!!

    ResponderEliminar
  3. Ora aí está uma história típica de novela! Muito bonita, mesmo!

    ResponderEliminar
  4. Feliz união aos dois, pois o que o amor une, a discordia não resiste. O amor é terra fértil de encantos e tristezas, agora chegou a hora de plantas carinhos e compreenção. Parabéns aos dois e a você, que terá a oportunidade de ver com os próprios olhos o triunfo do amor.

    bjs de todas nós

    ResponderEliminar
  5. :):):) Que bonito que isso é! Tive uma tia que casou aos 70 anos. Foi lindo! Gostava de dançar e ia para os Alunos de Apolo. Quando enviuvou ainda teve um apaixonado qualquer que lhe escrevia cartas e quando, na sequência de uma queda, teve de ser internada no lar onde acabou por falecer, um outro queria, à fina força, casar com ela mas ela dizia que não, que ele era muito velho, e torcia o nariz enquanto meneava a cabeça :):) Nunca é tarde. Parece que tinha os olhos mais lindos!... era o que eles diziam :):)
    Toda a felicidade do mundo para os teus tios :):)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores