quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Gaiola


Brian Cassey foi a Hong Kong fotografar gente que vive em gaiolas, no meio de riquezas incalculáveis. Sempre me chocaram grandes opostos inerentes às sociedades actuais, que conseguem amalgamar riqueza com pobreza, num convívio estranho e mesquinho. Gente que deambula em miséria e que ao redor tem a imensidão da abundância, do esbanjamento, da opulência. Não estou resignada a esta realidade, embora de nada me valha a minha indignação, ou a quem quer que seja. Mas o facto de naquele sítio a miséria vir dentro de uma gaiola, piora-me o cenário consideravelmente. Não gosto de gaiolas, é uma realidade de sempre. Não gosto de lá ver dentro pássaros, ou em outra escala e já em jaulas, leões, tigres, ou qualquer outro tipo de bichos. Nem sequer gosto de prisões, onde as pessoas pagam crimes cometidos, e pagam porque assim tem de ser, reconheço, mas não gosto. E não posso gostar de realidades que permitem que gente viva dentro de uma gaiola. Uma gaiola é por si só um nome estranho e obsoleto. E se não é obsoleto, deveria sê-lo, eu pelo menos gostaria que fosse.

1 comentário:

  1. Quando visitei o Brasil fez-me mt impressão ver, num sítio em particular, as pesssoas enjauladas em espaços minúsculos. Penso que assim é como defesa contra os crimes - assaltos, etc, mas retenho a imagem de crianças a brincarem atrás das grades, em pleno dia, em casas que tinha o tamanho de muitas cozinhas....

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores