sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Poesia

E dizia-me então inchada, que se pudesse escolher não morreria nunca. Pergunto-lhe se não se cansaria, responde-me que não, que viveria para sempre. A pergunta do onde caberíamos todos, ficou-lhe a magicar nas entranhas.
- Se calhar não cabíamos, acaba a proferir.
- E para que ficava?, insisto.
- Não sei, olhe, ficava.
- Buscava a perfeição?, pergunto-lhe sorrindo, lembrando o poeta.
- Não, a perfeição não existe.

E é por isto que carecemos tanto de poesia.

4 comentários:

  1. Boa tarde, venho divulgar o meu novo blog : http://rosita-artes.blogspot.com/.

    Visite (:

    ResponderEliminar
  2. Ainda há uns minutos atrás acabei de dizer isso mesmo à pessoa com quem falava... A perfeição não existe e já isso é quase perfeito ;) acredito que a busca da perfeição é muito mais enriquecedor do que a perfeição (digo eu, que não sei como ela é, felizmente!) ;)

    ResponderEliminar
  3. Felizmente que a perfeição não existe...o mundo perdia a graça, deixavamos de ter por onde aprender, porque "lutar"...

    Um imenso sorriso de BOM 2012

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores